É fato que o sistema de ensino já passou por diversas transformações, mas ainda se mantém bastante semelhante ao que vivenciamos há alguns anos. O grande problema de se manter tão tradicional é que isso acaba desestimulando os estudantes e, obviamente, contribui para que a formação de cidadãos sem interesse pela educação seja cada vez mais frequente.

Hoje, basta entrar em uma sala de aula de alguma escola para comprovarmos que ela reproduz o mesmo sistema de ensino, ou um bem parecido, de antigamente. Ainda são poucas as instituições que buscam por inovações e um sistema educacional mais moderno, visando alcançar uma maior qualidade no ensino. Contudo, ao buscar novas abordagens e um ensino diferenciado e atualizado, essa realidade pode ser modificada e os alunos terão mais chances de serem incentivados a buscarem por educação.

A inovação, portanto, é o caminho para que uma instituição de ensino se destaque perante as demais e alcance um lugar cada vez mais significativo no mercado em que atua.

Geração Z: conhecendo os alunos que encontramos nas escolas atuais

Uma grande parte dos alunos que frequentam as escolas atualmente pertencem à geração Z, ou seja, pessoas que nasceram a partir da segunda metade da década de 1990. Eles vieram ao mundo em uma época em que alguns instrumentos tecnológicos como smartphones, tablets e computadores já faziam parte do cotidiano das pessoas.

Com base nesse contexto, raramente um aluno que pertence à geração Z se sentirá atraído por um modelo de educação tradicional e, de certa forma, obsoleto. Quando nos referimos a um modelo tradicional, estamos falando sobre aquele em que o professor fala e escreve todo o conteúdo em um quadro, cobrando, posteriormente, o que os alunos aprenderam por meio de provas e avaliações.

Então, para driblar essa realidade enfrentada pela grande maioria das instituições de ensino, o mais natural é que os gestores entendam melhor os alunos. Para isso, é possível fazer um trabalho de pesquisa entrevistando professores, alunos e pais para ter uma base de dados rica de informações que contribuirão para que medidas sejam tomadas com o objetivo de tornar o ensino mais atraente para esse público.

Conheça as principais características de escolas inovadoras

1 – O aluno é o protagonista

Se sua escola quer transmitir uma imagem de instituição que se posiciona como agente da transformação e ser reconhecida como tal, é preciso que ela incorpore estratégias que promovam o protagonismo do aluno. Para isso, algumas metodologias de aprendizagem, como sala de aula invertida, aprendizagem por iniciativas e projetos que levem em conta o que o aluno sabe são formas de estimular o protagonismo dos alunos na escola.

2 – O jeito de avaliar o aluno é outro

Atualmente, a forma de avaliar os alunos é muito embasada na memorização e repetição de conteúdos. Ao chegar no ensino médio, por exemplo, o foco do aluno tende a ser passar no vestibular, em vez da consolidação de sua aprendizagem na escola.

Nesse sentido, uma forma de inovar é abordar um novo jeito de realizar as avaliações. Escolas inovadoras deixam de lado as tradicionais provas e adotam a realização de trabalhos, a elaboração de relatórios e, até mesmo, a autoavaliação. É preciso que exista mais de um método disponível, com o intuito de conhecer qual é a percepção do aluno sobre o ensino em vigor e qual é a visão do professor sobre ele. Assim, o processo torna-se mais justo e estimula o desenvolvimento.

3 – O espaço da escola é reorganizado

O modo como o ambiente escolar é disposto atualmente é totalmente tradicional na grande maioria das escolas. As salas possuem cadeiras enfileiradas e de frente para o quadro e o professor ensina o que foi estipulado. As áreas de convivência, por exemplo, sempre ficam fora das salas e só podem ser acessadas no momento da pausa.

Uma escola inovadora é aquela que opta pela reorganização desse espaço. As cadeiras podem ser colocadas para formar um círculo, estimulando que os alunos conversem e levantem debates sobre o que está sendo aprendido. Outra alternativa é criar salas sem nenhum tipo de divisão, unindo diferentes turmas para que trabalhem juntas e com a supervisão dos educadores.

4 – Os projetos são multidisciplinares

Pensar que cada matéria dada em sala de aula representa um campo de conhecimento isolado deve ficar para trás. Hoje, uma escola inovadora sai na frente ao perceber que todos os saberes estão interligados e dependem uns dos outros para serem melhores aprendidos.

O ideal é que os gestores construam pontes em vez de muros. E a melhor maneira para isso é fazer com que estudantes trabalhem em projetos multidisciplinares, integrando disciplinas que parecem não fazer parte do mesmo segmento, mas que instigam os alunos a terem uma visão mais completa do conhecimento.

5 – A consciência sustentável é estimulada

O foco aqui não é só a sustentabilidade ecológica, mas a econômica e a social também. Escolas inovadoras precisam trabalhar essa questão com seus alunos, pois de nada adianta ter um currículo multidisciplinar baseado em projetos, se os estudantes não adquirem visão de que suas ações diárias fazem toda a diferença para a preservação do planeta.

6 – A comunidade também tem vez

Incentivar que os estudantes dialoguem com a comunidade a qual eles pertencem também é um diferencial de escolas que buscam por inovação. Vivemos uma realidade em que a comunidade na qual a escola está inserida nem sabe o que acontece lá dentro, e isso também vale para a escola, que não sabe o que acontece na comunidade. Então, buscar construir um caminho entre escola e comunidade é um progresso considerável para instituições de ensino inovadoras.

7 – A tecnologia passa a ser uma aliada

Por mais que hoje ela seja considerada como uma aliada e também uma vilã nas escolas, o que tem faltado para o cenário se tornar positivo é o uso da tecnologia com criatividade pelos educadores. Para começar, ela precisa ser enxergada como um instrumento que estimula e possibilita a aprendizagem, pois aproxima o conteúdo do aluno.

Para que isso seja feito da maneira correta, considere que a tecnologia é um meio que facilita a aprendizagem, mas não deve ser considerada como o objetivo de uma aula.

E aí, gostou do tema abordado em nosso blog hoje? Para fixar ainda mais, deixe seu comentário contando o que você vem adotando em sua escola para que ela seja considerada inovadora.

Para aprofundar ainda mais seus conhecimentos leia o nosso eBook sobre Comunicação Escolar e descubra o que as escolas mais bem-sucedidas do país estão fazendo para superar a crise de comunicação em instituições educacionais.

Ah, siga a iScholar nas redes sociais para continuar acompanhando mais assuntos como este.

Facebook: /SistemaiScholar

Instagram: @sistemaischolar

Até a próxima!